Brasil Projeto

A visão de levar cavalos a um orfanato no Brasil, começou em 2008, quando Ingela Larsson Smith respondeu ao chamado de Deus, “Quero que você vá para o Brasil”.

Em novembro de 2009, Ingela e seu esposo Richard, junto com Katy Overton, foram o primeiro grupo a ir ao Brasil, e passaram 5 dias em São Paulo se preparando para o projeto. Na busca pelo orfanato certo, o grupo fez uma viagem ao Orfanato Betel, próximo à Brasília, no estado de Goiás.

Assim que chegaram, eles descobriram que o Betel havia ganhado 13 cavalos, que viviam como uma manada livre em uma área de 2500 acres. O pastor do Betel estava procurando desesperadamente por uma resposta quanto ao que poderia ser feito com seus cavalos, quando Ingela, Richard e Katy chegaram como resposta à sua oração.

O grupo passou uma semana construindo relacionamentos com a liderança, as crianças e os cavalos, criando estratégias e soluções criativas em como melhor ajudá-los. Eles avaliaram os cavalos e ajudaram alguns dos mais difíceis a se tornarem dóceis e a superarem o medo dos homens.

As crianças gostaram das nova atividade extracurricular de aprender a interagir de forma natural e segura com os cavalos, aprendendo alguns dos princípios de equitação.

Ao final da semana, o grupo e a liderança perceberam que o Betel era o local certo para o projeto Cavalos para Órfãos.

O segundo grupo veio ao Brasil em Março de 2010, e novamente passaram 5 dias em São Paulo, se preparando para a viagem de volta ao Betel e traduzindo para o Português o marerial "Habilidades com os Cavalos" do programa "H-Factor". O grupo então foi à Brasília e ficou no Betel até o começo de Abril.

Nesta viagem, o foco principal foi construir as instalações necessárias para os cavalos, principalmente a arena ao ar livre e seis baias. O grupo ensinou equitação e princípios do Reino à liderança e às crianças do orfanato, e ofereceu instruções práticas e conselhos sobre cuidados com o cavalo, alimentação e vermificação.

Como o projeto progredia, tornou-se claro que o grupo precisaria de uma pessoa local jovem que estivesse disponível para futuros treinamentos em equitação, com o propósito de se tornar um líder do projeto Cavalos para Órfãos no Orfanato Betel. Reginaldo Isaías Lopes logo apareceu como o candidato perfeito para ser o líder local do projeto de cavalos, e começou seu treinamento como instrutor do programa H-Factor com Ingela Larsson Smith.

Na ausência do grupo, Fernando Rolim, um conhecido cavaleiro e veterinário brasileiro, visitava o projeto a cada três meses, verificando os cavalos e treinando Reginaldo e as crianças.

Naquele ano, Fernando também foi o responsável por construir um redondel para o projeto, e no outono de 2010, Chris e Esther Haab levaram um grupo para o Betel, e contruíram um sistema de água para as baias.

No começo de 2011, vários grupos diferentes vieram, cada um tendo experiências práticas no projeto e sendo treinados pessoalmente por Richard e Ingela. Um desses grupos foi o "Youth Philanthropy Club", de Missoula, Montana, que durante um ano havia levantado fundos para o salário de Reginaldo e custos veterinários. Eles ficaram maravilhados em finalmente conhecer as crianças e ver o projeto que eles haviam ajudado.

Em junho e outubro de 2011 outros dois grupos deram seu tempo e esforços ao projeto dos cavalos no Betel. Porteiras foram construídas para as baias e uma área de 4 hectares foi medida e a terra foi preparada para o plantio do capim, que Reginaldo e o pessoal do Betel plantaram mais tarde, em dezembro.

Em fevereiro e março de 2012, Richard e Ingela receberam quatro grupos diferentes. Todos que vieram foram ensinados sobre cura interior e foram encorajados a se aprofundarem mais em Deus. Os membros dos grupos trouxeram vida e amor às crianças e contribuíram com o projeto com uma variedade de habilidades. As cercas foram reforçadas ao redor dos 4 hectares de terra onde a grama havia sido plantada, foram construídos uma cobertura no estábulo, e um galpão para alimentos e selas. A terra foi inclinada ao redor da arena e dos estábulos, para ajudar na drenagem. O livro de tarefas avaliativas do programa H-Factor e o DVD "Conceitos 1" foram traduzidos para o Português, para o Reginaldo e as crianças. Foram feitos cabrestos de corda, próprios para equitação natural, etiquetas de couro foram marcadas nos cabrestos, e as crianças tinham aulas de inglês todas as noites.

Os meninos e as meninas do projeto dos cavalos tiveram a oportunidade de participarem de aulas de laço com Buddy Cardinal. Para praticarem sem uma vaca, eles fizeram uma vaca de metal. Eles aprenderam a laçar ao redor da arena montados em um cavalo, enquanto os outros praticavam suas habilidades de laçar o alvo em movimento.

Mais tarde em 2012, o orfanato Betel enfrentou muitas dificuldades, que resultaram em seu fechamento, em 2013. Com isso, o projeto Cavalos para Órfãos no Betel veio ao fim.

Richard e Ingela já haviam procurado por um novo local durante muitos meses. Eles continuaram a crer em Deus e em Suas promessas de uma nova base para o projeto. Em Novembro de 2013, após muita oração, eles encontraram o novo local, uma linda chácara próxima à cidade de Anápolis, Goiás. Ali eles iniciaram um novo projeto Cavalos para Órfãos. Atualmente vivendo na nova base estão Wagner, o zelador; Reginaldo, o líder do projeto; e os garotos Douglas, Fabrício e Antônio. Em julho, Categórico, um cavalo puro-sangue castrado, chegou.